Você ficou triste na segunda feira?

Espero que isso não tenha acontecido com você, mas a segunda feira desta semana é considerada o dia mais triste do ano.

Isso porque segundo um psicólogo britânico esse é o dia que em que as pessoas começam a se dar conta dos gastos excessivos que fizeram no final do ano, a euforia da mudança começa a passar e as pessoas começam a sentir o gosto da realidade.

Com isso vem a melancolia, a tristeza e a sensação de depressão.

Vamos combinar, é triste mesmo quando estamos inseridos em uma realidade que não gostamos e acreditamos que não há saída. Pode ser em um emprego sem sentido, trabalhando com chefes que desvalorizam o seu potencial, ou inserido em um relacionamento ruim, enfim, como é triste quando estamos no “olho do furacão” e não encontramos saída.

E você sabe o porquê muitas vezes você não encontra saída?

Porque a nossa mente tem medo de mudança. Mudar é entrar em um terreno, muitas vezes desconhecido, e isso assusta. Com isso, uma das mentiras que a nossa mentalidade faz acreditar é que é melhor ficar em uma situação ruim, porém conhecida do que mudar para algo que você ainda não sabe.

Mudar exige sair da zona de conforto, e sair da zona de conforto exige aprender algo novo. Para aprender algo teremos que nos esforçar, e faz parte da natureza humana economizar energia, é por isso que para muitas pessoas é tão difícil mudar.

Talvez a essa altura do ano a euforia de que esse ano tudo vai ser diferente já tenha passado, mas precisa vir a certeza de que as coisas não mudam, nós é que mudamos.

Você precisa ser a fonte de mudança e transformação em sua vida!

 

E ai? Quais são as pequenas mudanças que você fará em sua vida a partir de agora para ir em busca de seus objetivos?

Fez sentido para você? Então compartilhe para que outras pessoas possam ter acesso a esse conteúdo.

 

Damaris Alfredo

Especialista em Gestão de Pessoas, atua como Coach, Palestrante Comportamental e Professora em MBA. É apaixonada por carreira desde os 10 anos quando precisou pensar em sua primeira transição. Ama ajudar as pessoas em seu desenvolvimento pessoal e utiliza a escrita como ferramenta neste processo. É Co autora do Livro VOCÊ VAI FICAR SENTADO AI? Da Editora Comunica. Escreve artigos de autodesenvolvimento com foco em carreira com publicações semanais.