O que você faria no meu lugar?

Alguns meses atrás eu precisei ir em um cartório aqui da minha cidade para registrar uma documentação.

Sabendo que se tratava de uma burocracia eu fui um dia antes levantei as informações os documentos, valor da taxa enfim tudo que era necessário para que eu fizesse apenas uma única vez o processo.

No dia seguinte voltei ao cartório com todos os documentos em mãos e fui informada pela atendente que estava faltando documento.

Claro que isso me estressou, visto que foi lá mesmo que levantei as informações. Então eu respondi a ela:

-Como está faltando documentos? Eu verifiquei todos os documentos aqui com vocês.

E ela sem se importar muito comigo me disse.

-Está faltando.

A resposta dela fez com que eu ficasse um pouco mais brava, mas continuei no equilíbrio e perguntei.

-E agora? Terei que voltar aqui para fazer tudo isso de novo? Vou perder a hora de trabalho por conta disso?

E então ela teve uma postura que fez com o meu sangue fervesse.

Ela simplesmente ergueu os dois ombros para mim como quem dissesse problema seu.

Naquele momento, eu vou confessar que eu senti que fui até a lua e voltei.

Minha vontade era simplesmente em voar em cima da cidadã e da-lhe uma boa lição, isso porque eu não sou adepta de violência ou uso de força física, mas confesso que senti.

Então sem saber direito o que fazer, peguei depressa os documentos e disse apenas “ta bom” e sai daquele lugar.

Quando eu cheguei no meu carro, estava tão brava que a única coisa que consegui fazer foi chorar para tentar me acalmar.

Depois de um tempo liguei para o meu marido e ele me disse que deveria ter falado com o gerente, mas eu estava tão desestabilizada emocionalmente que não agir e ter uma crise de choro depois foi o melhor que eu poderia fazer com os recursos que eu tinha naquele momento.

O que você faria em meu lugar?

Eu não sei se você sabe que hoje boa parte do meu trabalho é voltado para ajudar as pessoas a desenvolverem a sua inteligência emocional, já gravei vários vídeos falando sobre isso e boa parte de minhas palestras e treinamento são voltados para isso.

Às vezes eu ouço as pessoas me dizerem que acreditam que ter inteligência emocional é ter um estado de plenitude tão grande que nunca mais você irá perder a sua paciência, eu brinco quando eu ouço isso que isso se chama Morte. É na morte que não sentimos mais nada.

Na vida, situações que não controlamos podem acontecer a qualquer momento.

Conviver com pessoas que nos tiram a paz e energia pode acontecer em qualquer lugar ou momento.

Não controlamos o universo e nem reação das outras pessoas. Mas, temos o controle de como reagir ao que nos acontecem.

E as vezes não fazer nada, mesmo quando você está possuído por uma ira ou uma raiva é a melhor decisão emocional que você poderá ter.

 

E você já passou por situações assim? Como você reagiu? Me escreva contando, vou querer saber quais são as suas estratégias para controlar as suas emoções.

 

Sucesso.

 

Damaris Alfredo

Especialista em Gestão de Pessoas, atua como Coach, Palestrante Comportamental e Professora em MBA. É apaixonada por carreira desde os 10 anos quando precisou pensar em sua primeira transição. Ama ajudar as pessoas em seu desenvolvimento pessoal e utiliza a escrita como ferramenta neste processo. É Co autora do Livro VOCÊ VAI FICAR SENTADO AI? Da Editora Comunica. Escreve artigos de autodesenvolvimento com foco em carreira com publicações semanais.