Como lidar com a opinião do outro

Você tem medo da opinião do outro? Você se preocupa com o que o outro está pensando sobre você,

sobre seu comportamento? Você gasta um tempo considerável da sua vida preocupado com que o outro

está achando ou pensando a seu respeito?

É bem provável que sim, pelo menos em algum momento da sua vida você já deve ter investido uma

certa energia vital em cima disso. E isso faz parte da nossa necessidade humana, nós seres humanos

temos a necessidade da aceitação e por ter essa necessidade, algo que nós tanto temos é a rejeição.

Por isso que levamos tão a serio a opinião que o outro tem a nosso respeito. No entanto, a maioria das

pessoas estão gestando um tempo vital preocupado com que o outro está pensando e na verdade está

todo mundo tão preocupado com que o outro está pensando, que ninguém está notando ou percebendo

a outra pessoa.

As vezes temos tanto medo da opinião do outro ao nosso respeito, que deixamos de criar, de ousar,

de agir com naturalidade, de ser espontâneo, de ser natural, de ser nós mesmos. Nós deixamos de usar

os recursos que nós temos, e com isso, a medida que o tempo vai passando, nós vamos nos anulando

cada vez mais, se perdendo dentro da gente mesmo. Nós precisamos tomar cuidado com isso, porque,

além disso não ser bom, isso afeta diretamente a alto estima.

Eu falo muito isso para as pessoas que convivem comigo, que quando o outro dá uma opinião ao meu

respeito, se aquilo for verdade, eu vou concordar com ele, se aquilo não tem nada a ver comigo, eu vou

dizer para ele que está equivocado. E se o outro está falando de mim e eu não estou sabendo, porque vou

gastar energia com isso. Ou seja, se o outro está falando para mim o que ele acha e pensa de mim, ele está

me dando a chance de eu dizer se aquilo é verdade ou não, mas se ele fala pela minhas costas, eu não estou

sabendo, porque eu vou gastar energia e vida em cima disso?

A medida que vamos envelhecendo ou criando mais maturidade e inteligência emocional, nós vamos

aprendendo mais sobre nós mesmos, e começamos a levar em consideração aquilo que de fato é relevante

e que vale a pena nós investirmos nosso tempo, a nossa energia e a nossa vida.